Maringá cidade jardim

#AquiTemInstaCasa: visite Maringá, a Cidade Jardim paranaense

A série #AquiTemInstaCasa, agora, faz uma visita ao município de Maringá, a Cidade Jardim, no Paraná. Também conhecida por ser a terceira maior cidade do Estado, possui pouco mais de 430 mil habitantes, de acordo com o IBGE/2020, e fica localizada no Norte Central paranaense.

A adorável cidade faz parte do portfólio da InstaCasa com o empreendimento Jardim Munique, da U3 Urbanismo, e nós estamos ansiosos para te apresentar a história do município e motivos para que ele possa ser o local onde você construirá a casa dos seus sonhos!

Cidade Jardim

Se você andar pela cidade, perceberá que, lá, tudo é planejado: áreas residenciais, comerciais e industriais. As avenidas são largas e há dezenas de praças e verde por todos os lados. É a ideia de “Cidade Jardim”, muito comum na Inglaterra.

De acordo com dados da Prefeitura Municipal, a área urbana de Maringá tem uma árvore para cada quatro moradores, uma média de 55,0 m² de área verde por habitante. Há um total de 1,8 milhão m² de áreas verdes, distribuídas em 21 reservas, das quais 14 são parques públicos, 1 particular e 6 áreas sem lei própria.

O critério para a escolha das  árvores plantadas em Maringá foram as flores, segundo o engenheiro agrônomo Anibal Bianchini, conhecido como “Jardineiro de Maringá”. As espécies deveriam florescer a maior parte do ano, por isso foram selecionadas mudas de: flamboyant, sibipiruna, pau-ferro, figueira branca, espatódea, alecrim, canelinha cheirosa e o ipê roxo. Assim, as flores aparecem em diferentes meses do ano e encantam pelos tapetes multicoloridos nas avenidas, praças e ruas da cidade.

Um jacarandá mimoso na esquina das ruas Duque de Caxias e Joubert de Carvalho foi uma das primeiras árvores plantadas.

Para manter a organização da cidade, os primeiros bairros centrais são conhecidos como Zona 1 (região comercial), Zona 2 (região residencial, próxima ao Centro), Zona 3 (antiga Vila Operária), Zonas 4 e 5 (residenciais), Zona 7 (próxima da Universidade Estadual de Maringá – UEM) e assim por diante.

Maringá é a cidade jardim paranaense.
Imagem: G1

Título, também, de Cidade Canção

O título Cidade Canção surgiu em 1962, quando o pioneiro Antenor Sanches, então secretário da prefeitura municipal, recebeu correspondência de uma estudante de Minas Gerais, manifestando o interesse de conhecer a cidade que nasceu de uma canção (para conferir a letra, clique aqui).

Tendo Sanches um programa radiofônico diário, com grande audiência e também coluna no jornal, resolveu fazer uma campanha para que o cognome Cidade Canção fosse dado para Maringá. A campanha logo fez o maior sucesso e foi aprovada por lei, perpetuando o cognome pela Lei Municipal 5.945/2002, de autoria do Vereador João Batista Beltrame.

Curioso, não?

Vista de Maringá
Imagem: CBN Maringá

Maringá e o Trópico de Capricórnio

Em algum momento da sua vida, enquanto você assistia a uma aula de Geografia do Ensino Fundamental, você já deve ter ouvido falar sobre o Trópico de Capricórnio. Trata-se de uma linha imaginária que corta o globo terrestre no sentido horizontal.

Dito isso, uma curiosidade muito bacana é que, coincidentemente, o Trópico de Capricórnio atravessa a cidade de Maringá. Por isso, esta região constitui-se numa área de transição entre os climas Tropical e Subtropical. Interessante, não é mesmo?

Marco do trópico de capricórnio em Maringá
Imagem: Mapio/Stella Brazil

No início, uma aventura e tanto!

Há anos, na época em que a cidade ainda não era nem metade do que é hoje, a impressão inicial para quem chegava à cidade era de uma verdadeira aventura. O povo tinha que usar botas e o único veículo compatível com a região era o jipe. Nos dias de chuva, era totalmente impraticável sair pela cidade, já que as estradas ficavam intransitáveis, e os carros tinham que ser empurrados ou puxados, com cabo de aço, por um caminhão. 

Segundo o guia turístico da Prefeitura de Maringá, nos dias de calor, o pó vermelho da terra roxa era insuportável e cobria toda a cidade. O trajeto até Curitiba, Capital do Estado, demorava de 12 a 14 horas para ser feito, pela rodovia que, mais tarde, tornou-se a Estrada de Café. 

Imagem histórica de Maringá.
Imagem: Gazeta do Povo

Maringá: um nome cercado por lendas

Uma das maiores curiosidades de Maringá tem relação com a origem do nome da cidade. Parece até uma curiosidade coletiva, onde cada morador ou curioso tenta desvendar ou justificar a origem de seu nome. Nessa tentativa, lendas e lendas são criadas, que vão desde o cantarolar triste de um viúvo, derrubador de mato, que numa rede amarrada em árvores ninava seu filh, com a canção “Maringá, Maringá”. Os presentes comovidos resolveram dar o nome dessa canção a este lugar.

Há, também, uma lenda que diz que Dona Elizabeth, esposa de um dos diretores da Companhia Melhoramentos Norte do Paraná, tenha sugerido o nome de Maringá à área que seria colonizada.

O certo é que, por volta de 1940, esta área coberta por uma densa floresta, já era denominada por Maringá, tendo, a Companhia Melhoramentos Norte do Paraná, colocado uma placa com esse nome nas imediações, a exemplo de outros nomes como Ivaí, Tibagi, Inajá e outros provenientes da língua guarani.

Os córregos e rios eram tantos que lhes faltava criatividade para nomeá-los. Por esse motivo, os funcionários da Companhia Norte do Paraná escolhiam nomes de cidades de seus países, como, por exemplo, Astorga e outras. Até marcas de cigarros davam nomes às águas, como o córrego do Fulgor. Ao demarcar essa região, nomeavam os rios e esses é que davam nomes às futuras cidades. Encontraram, então, um ribeirão que recebeu o nome de Maringá, provavelmente inspirado na canção de Joubert de Carvalho. Esse córrego foi batizado pelo Senhor Raul da Silva, na época, Chefe do Escritório de Vendas da Companhia Melhoramentos Norte do Paraná, em Mandaguari.

O nome desse córrego passou ser o nome da futura cidade. Assim, Maringá recebeu o nome da canção que, por sua vez, também tem sua história: morava na cidade de Pombal, interior da Paraíba, numa ruazinha coberta por ingazeiros, uma linda cabocla de nome Maria do Ingá. Era filha de retirantes nordestinos, dona de uma beleza encantadora. Maria fascinava a todos inspirando ardentes paixões.

Um dia, uma seca inclemente levou a linda Maria, deixando o político Rui Carneiro desolado de tristeza. Bairrista como todo nordestino, Rui pediu ao amigo Joubert de Carvalho que fizesse uma música que exaltasse a mulher amada e sua terra natal. Para o famoso compositor não foi difícil fazer a combinação poética da Maria do Ingá. Na fusão das palavras de Maria mais Ingá, surgiu Maringá, dando origem a Canção “Maringá, Maringá” que, por volta de 1935, estourava nas paradas de sucesso.

Foto histórica de Maringá.
Imagem: Maringá Turística

Ficou curioso para conhecer a cidade? Então, pé na estrada! Maringá, certamente, encantará você. E se quiser conhecer mais sobre outras cidades brasileiras, assine nossa newsletter e receba conteúdos semanais sobre arquitetura, inovação, tecnologia e, claro, sobre a série #AquiTemInstaCasa.

Faça parte do mundo de Arquitetura e Tecnologia para Loteamentos.

Assine nossa Newsletter e descubra como!

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.
Ops! Captcha inválido, por favor verifique se o captcha está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.