Como a tecnologia pode salvar o setor imobiliário da crise?

Com o cenário inédito no Brasil e no mundo em meio à pandemia de COVID-19, emergiu a necessidade de isolamento social com o objetivo de evitar a proliferação do vírus. Empresas dos mais diversos segmentos enxergaram a necessidade de reinventar-se para caber na nova realidade de um mercado que está cada vez mais virtual.

Agora, quando falamos sobre coronavírus no mercado imobiliário, analisamos os impactos partindo do princípio que, em boa parte do tempo, este depende do trabalho “cara a cara” dos profissionais do ramo com os clientes finais. Então, qual é a real importância do desenvolvimento de um sistema online e remoto em casos de pandemia?

Analisando o comportamento do mercado, o segundo semestre de 2019 foi o melhor em termos de vendas desde o ano de 2015, conforme o Anuário do Mercado Imobiliário, uma vez que o setor encerrou o último ano com pouco mais de 78 mil lotes em estoque, contra as 90 mil unidades de 2018. Portanto, a expectativa é que o cenário para 2020 não mude e, sim, seja postergado.

Portanto, em meio à crise, como agir, uma vez que o Sindicato da Habitação de São Paulo (Secovi-SP) apresentou sondagem que, entre dados de 42 empresas, 40% dos interessados fecharam negócio por meio digital?

Com ideias anteriores aos sinais da COVID-19, nós da InstaCasa, desde 2017, ano de sua fundação, trabalhamos diretamente com uma plataforma digital que une tecnologia e arquitetura. Remotamente, é possível visualizar uma grande variedade de projetos que podem ser construídos em cada lote de um empreendimento parceiro. Em nosso sistema, consideramos, inclusive, as características físicas como dimensões e declividades, e características legais, como a legislação construtiva.

Observamos a junção de tecnologia e arquitetura, como uma necessidade do mundo das construtechs e que mostra-se cada vez mais relevante. O setor de loteamentos, por ser bastante tradicional e pulverizado, é carente de iniciativas de inovação voltadas a este mercado. E buscar suprir esse gap com soluções que gerem resultado real.

Mas… e com a pandemia?

Mais do que nunca, o momento atual demanda soluções digitais para encantar e, assim, concretizar negócios à distância.

A experiência inovadora da InstaCasa permite que potenciais compradores continuem planejando seus futuros lares sem sair de sua atual casa. Isso é possível graças à tecnologia de Realidade Virtual, oferecida às loteadoras parceiras e aos clientes finais, para que visualizem a implementação de um projeto de arquitetura exclusivamente planejado para o lote.

Projeto da InstaCasa.

As soluções tecnológicas no mercado imobiliário permitem que a crise não impacte a produtividade, mantenha a qualidade do trabalho, ajude no relacionamento com os clientes, proporcione uma boa experiência e colabore para a diminuição de prejuízos financeiros. Pensando nisso, a InstaCasa criou iniciativas para expandir o potencial de visualização de casas no lote e de parcerias com as loteadoras. Está em fase de finalização o tour virtual pelos loteamentos e a criação de estandes virtuais, que buscam aprimorar a experiência dos loteadores, corretores e, também, dos clientes finais.

A plataforma se mostra efetiva em um momento que pesquisas sobre os impactos imediatos que a pandemia do novo coronavírus causa no mercado imobiliário demonstram queda. De acordo com dados divulgados pelo Secovi-SP, no período de 14 a 16 de abril, cerca de 71% das 21 empresas participantes da pesquisa não estão conseguindo fechar negócio pelo meio digital. A InstaCasa, desde o início da quarentena, segue aplicando soluções as loteadoras parceiras. Com isso, obteve um crescimento de 20% no número de lotes em empreendimentos contratados.

Achou esse artigo interessante? Assine a nossa newsletter e fique por dentro dos nossos conteúdos semanais!

Faça parte do mundo de Arquitetura e Tecnologia para Loteamentos.

Assine nossa Newsletter e descubra como!

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.