Mente e Ambiente: 7 dicas para não se sabotar em meio à pandemia

Você sabia que o ambiente em que você realiza as suas atividades diárias, sejam elas pessoais ou profissionais, pode provocar um grande impacto na sua saúde mental? Ou ainda que, neste período em que muitas pessoas estão em home office por conta do isolamento social motivado pelo novo coronavírus, o fator psicológico pode ser um grande vilão para a produtividade e o bem-estar?

Entendendo o momento que estamos vivendo, os arquitetos da InstaCasa e a psicóloga Nathália Marques,  reuniram as melhores e mais valiosas dicas para evitarmos a autossabotagem no período de home office. Mente e ambiente sadios e positivos para passarmos por esse momento, juntos.

 Vem com a gente!

1. Pé no chão, informação e calma

O cenário é inédito no Brasil e no mundo por conta da COVID-19. E sabe qual a principal forma de a combater, segundo os profissionais de saúde e a OMS? O isolamento social. Assim evitamos que a propagação da epidemia aconteça de forma rápida e comunitária.

Com o isolamento, as relações humanas que são essenciais para que o corpo e a mente trabalhem de forma sincronizada e positiva, deixam de acontecer.

A psicóloga, Nathália Marques explica como lidar com sentimentos que podem surgir desse isolamento como incerteza, falta de controle e medo:

“É normal que tenhamos mais ansiedade, que sintamos a perda de nossa autonomia e de nossa liberdade. Só que esse misto de sentimentos, nesse momento, é necessário. Precisamos entender que, sem esse medo, somos indefesos e estamos, potencialmente, sob ameaça”, diz a psicóloga.

Assim, ainda que possamos nos sentir alertas durante todo o tempo, precisamos trabalhar a nossa mente para que o medo seja uma arma natural para nos proteger e não nos faça refém, interferindo diretamente em nossa produtividade diária! 😊

Como manter a saúde mental em meio à COVID-19.

2. Crie um espaço de trabalho para não se perder

É importante lembrar que, como estamos trabalhando de casa, facilmente podemos confundir nossas rotinas e obrigações domésticas e profissionais, não é? Dessa forma, situações como parar o trabalho para um lanche e acabar arrumando a casa, ou trabalhar muitas horas direto sem parar para descansar, podem acabar acontecendo.

Como comentamos em nosso artigo “6 dicas para manter a produtividade em home office”, uma das melhores formas de garantir o bom desempenho é escolher um espaço de trabalho específico em sua casa e aprimorá-lo para o dia a dia do trabalho.

A arquiteta da InstaCasa Chris Celeste explica que o ideal é manter, no ambiente de trabalho, ferramentas como caderno de anotações, computador e smartphone sempre próximas. “É ideal que, na mesa, fique apenas aquilo que se usa o tempo todo”, disse.

Crie um espaço de trabalho para não se perder.

3. Rotina e organização: receita para uma mente sã

Durante o bate-papo com a psicóloga, encontramos uma dica em comum: preze pela organização e manutenção da rotina. Assim, se, no escritório, você costumava acessar portais de notícias no primeiro horário da manhã, mantenha isso durante o home office.

“Não fique “zapeando” nos portais ou redes sociais em seu horário de almoço no qual, costumeiramente, você deixaria a mente espairecer após uma manhã intensa de atividades.”

Se o seu dia a dia envolvia muitas reuniões e bate papos entre os colegas de trabalho, então busque marcar bate papos e calls com seus colegas de trabalho. Saiba que, se dispor sobre a mesa as suas ferramentas de trabalho e manter a organização, seu subconsciente entenderá o recado e você trabalhará muito melhor, sem deixar que esse turbilhão de notícias te deixe ansioso ou depressivo.

“É importante ter uma cadeira confortável e uma iluminação agradável, de preferência natural, para que o ambiente possa proporcionar à sua mente o indicativo ideal para se manter produtivo.”, conta o arquiteto da InstaCasa, Denis Cossia e continua “à disposição dos móveis, o barulho ambiente, a iluminação… tudo isso contribui para a sua produtividade, pois deixará você mais confortável para trabalhar sem distrações.”

Rotina e organização: receita para uma mente sã.

4. Estar em casa não é motivo para você, literalmente, relaxar

É absolutamente normal a mente associar o fato de estar em casa com relaxamento e aconchego. Mas é sempre bom reforçar que home office, como o nome já diz é um trabalho de casa.

Portanto, vista-se de forma adequada, não fique de pijamas durante todo o dia e saiba que você precisa se dedicar. Nada de comodismo por estar em casa. De acordo com a psicóloga, é muito fácil que nossa mente entenda que, por estarmos em casa, podemos ficar literalmente relaxados.

“Mais uma vez, a dica de termos um cantinho só para trabalharmos é muito importante. Não é bom trabalhar em frente à televisão ou ouvindo música muito alta, porque tudo pode virar distração e, nesse momento, a distração é uma inimiga. Atenha-se aos seus horários, cumpra os deadlines combinados com sua equipe e separe a diversão da obrigação”, ressalta Marques.

Desta forma, algumas dicas de organização podem facilitar a concentração. “Não deixe papéis espalhados e tente guardá-los separadamente em pastas. Organize seus objetos em prateleiras, caixas, gavetas e armários, classificados por categorias e etiquetados. Limpeza e higiene do local também fazem parte da organização. Muitos objetos aleatórios como livros e papéis acabam tirando o foco e nos desestimulando”, explica a arquiteta Chris Celeste.

Saúde mental e ambiente: estar em casa não é motivo para você, literalmente, relaxar.

5. Estabeleça metas diárias para evitar a procrastinação e a ansiedade

Como o home office afasta a presença física dos colegas de trabalho, é comum que nos sintamos menos pressionados com relação a prazos e obrigações.

“Infelizmente, nossa cabeça entende que, se estamos dentro de casa, devemos descansar. Em um cenário inédito como esse, sabemos que essa ideia deve ser descartada. Não é porque não precisamos nos locomover às estações de trabalho que vamos dormir até tarde ou passar o dia vendo filme enquanto escrevemos relatórios, porque em situações normais, isso não aconteceria”, diz a psicóloga.

Portanto, para auxiliar no treinamento mental, estabeleça metas diárias.

“Tenha disciplina e pergunte-se, diariamente, ‘o que eu preciso fazer hoje? Quais são minhas tarefas para esse dia?’. Portanto, é necessário que você saiba se cobrar adequadamente para transformar-se em um profissional produtivo, até mesmo em situações adversas, preservando a saúde mental”, afirma Nathália.

Segundo a especialista, “quando você passa a ter esse compromisso diário consigo, entendendo o momento e trabalhando de forma adequada, fica muito mais fácil controlar a ansiedade e evitar a procrastinação. Não é necessário salvar o mundo em um dia, com metas absurdas que tomam muitas horas somente porque você está em casa e acredita que pode cumpri-las, prejudicando sua saúde mental. Viva um dia de cada vez e trabalhe como se estivesse no escritório, garantindo o bom desempenho esperado pelos seus superiores”.

Mantenha uma rotina de metas diárias. Cuide de sua saúde mental.

6. Não se culpe! Se não terminou a tarefa, você poderá terminar amanhã

É muito comum que, por trabalhar de casa, julgamos ter mais tempo disponível para executar as tarefas diárias.

Ainda conforme nosso artigo anterior sobre home office, apesar de economizarmos tempo, precisamos manter os nossos horários. Se saímos de casa às 7h para chegarmos ao escritório às 9h, não é porque não faremos o trajeto que precisamos iniciar as atividades às 7h.

Devemos cumprir a nossa carga horária normalmente e, portanto, lidar com situações comuns, como, por exemplo, não ter tempo para finalizar uma tarefa no mesmo dia, caso haja um prazo maior para fazê-la.

Para isso você pode usar a tecnologia a seu favor. Use aplicativos de gerenciamento de tarefas e de controle de respiração, por exemplo, para controlar as tarefas e também tomar controle da sua ansiedade.

Mantenha uma rotina de metas diárias. Cuide de sua saúde mental.

7. Respeite-se e lembre-se que isso tudo #vaipassar

Citamos, anteriormente, que devemos entender o momento pelo qual estamos passando, seja a pandemia, que afeta o mundo inteiro, ou nossos desafios pessoais, muito particulares para cada um de nós.

“É normal não sentir-se bem, principalmente se já lidamos com transtornos psicológicos na rotina normal. Não é preciso se culpar ou se sentir ansioso ou depressivo. Como falamos antes, o isolamento social provoca esses sentimentos, pois relações humanas físicas são essenciais para que nos sintamos bem. Porém, agora, permita-se. Permita-se não estar feliz todos os dias, permita-se chorar por saudades, permita-se sentir raiva por estar sem a liberdade costumeira, mas lembre-se que isso tudo vai passar”, resume Marques.

Enquanto isso, no ambiente profissional, utilize ao máximo as soluções tecnológicas para estar perto de seus colegas de escritório e, após o expediente, se necessário, faça o mesmo com seus amigos e familiares. Crie uma rede de apoio e se faça presente, pois todos estamos no mesmo barco e, como sabemos, a pandemia é uma fase que, apesar de longa, também é passageira.

Lembre-se que a pandemia vai passar. Cuide da sua saúde mental.
Legenda: Fique em casa, fique seguro…

Achou esse post relevante? Assine nossa newsletter e receba conteúdos em primeira mão!

#FiqueEmCasa 😊

Faça parte do mundo de Arquitetura e Tecnologia para Loteamentos.

Assine nossa Newsletter e descubra como!

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.
Ops! Captcha inválido, por favor verifique se o captcha está correto.

3 Comentários

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.